Buscar
  • Valdirene Rodrigues

DEPRESSÃO NÃO É FRESCURA!

Depressão é uma palavra bem conhecida e talvez você deva ter ouvido falar muito dela. Muitas pessoas sentiram-se abaladas diante de tantos acontecimentos e informações desesperançosas e incertas nesses últimos anos de pandemia.


Hoje em dia, estamos habituados a ouvir algumas falas associadas à depressão que podem acabar confundindo, e até mesmo passando despercebido por ela e, desta forma, prorrogando o sofrimento de quem a tem. Expressões do tipo: “hoje eu estou deprê" ou “fulano está deprimido” são muitas vezes utilizadas diante de dias de tristeza, frustrações, decepções, lutos e arrependimentos. Entretanto, é necessário entender a diferença entre estar triste e estar depressivo.


Muito embora algumas coisas se assemelham, existem detalhes importantes a serem observados para que não haja confusão e você não perca tempo em buscar o tratamento, caso necessário.



A tristeza é uma das emoções básicas e todos os seres humanos a possuem em algum momento da vida, é um sentimento normal e que aparece diante de circunstâncias específicas que causam algum incômodo em nós, diante de momentos de injustiça, desilusões, perdas ou quando enxergamos certas situações de forma negativa, por exemplo. Normalmente, a tristeza tem um curto período de tempo, ela dura horas ou alguns dias, mas passa. Agora, vamos entender melhor o que é a depressão?


A depressão é um dos transtornos mentais mais comuns, que inclusive é por muitas vezes escondida por quem a tem, devido ao receio de ser julgado pelas outras pessoas como alguém fraco, que não sabe lidar com seus problemas, que precisa ocupar a mente com coisas mais positivas… mas estou aqui hoje pra desmistificar essa visão simplista e te provar que não é tão simples assim como pensam ou dizem!


A depressão é um transtorno de humor que não escolhe idade, gênero, raça, renda, educação ou sucesso, ela afeta a vida em muitos aspectos, fazendo com que a pessoa se afaste do seu ciclo de amizades, deixe de sentir prazer pelas coisas que gosta de fazer, não consiga mais ser produtivo em seu trabalho e te faz se enxergar como alguém fracassado e sem esperança. E quanto aos sintomas depressivos, eles não se resumem a um ou dois de maneira isolada, pois possuem um conjunto de experiências, pensamentos, emoções e comportamentos.


É importante saber que as causas da depressão podem ser multifatoriais e somente um profissional da saúde mental é capaz de diagnosticar e tratar adequadamente a depressão.

Os fatores que contribuem para o surgimento da depressão abarcam os seguintes aspectos: predisposição genética, você pode ter herdado os genes dos seus pais ou avós; química do seu cérebro, pode haver uma queda na produção de neurotransmissores como a dopamina, serotonina e noradrenalina, que são as substâncias responsáveis pela sensação de tranquilidade, felicidade, bem estar, relaxamento, prazer, recompensa, memória, raciocínio e concentração; condições biológicas como, por exemplo, problemas de tireoide, que podem acabar causando um desequilíbrio hormonal; a deficiência de nutrientes e vitaminas no organismo, que contribuem para a queda da produção de neurotransmissores responsáveis pelo bem-estar físico e mental.


Tumores cerebrais também são uma condição para desencadear sintomas depressivos. Eventos estressores, como término de relacionamento, morte de um ente querido, perda de emprego, pressão no trabalho, estresse frequente, podem ser fatores responsáveis por causar um impacto emocional e interferir na percepção da realidade e, assim, causar a depressão.


As dificuldades diárias são capazes de se acumularem e desencadeá-la, mas se você tem a predisposição genética, os acontecimentos estressores podem aumentar ainda mais a probabilidade de deprimi-lo.


A depressão, de modo geral, não costuma acontecer somente uma vez, ela pode apresentar episódios recorrentes, e para algumas pessoas chega a durar meses ou até mesmo anos. Vamos conhecer agora os sintomas de depressão de acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais/ DSM-5:

  1. Humor deprimido na maior parte do dia, quase todos os dias, conforme indicado por relato subjetivo (sente-se triste, vazio, sem esperança) ou por observação feita por outras pessoas (parece choroso). Em crianças e adolescentes, pode ser humor irritável;

  2. Acentuada diminuição do interesse ou prazer em todas ou quase todas as atividades na maior parte do dia, quase todos os dias, indicada por relato subjetivo ou observação feita por outras pessoas;

  3. Perda ou ganho significativo de peso sem estar fazendo dieta (como uma alteração de mais de 5% do peso corporal em um mês), ou redução ou aumento do apetite quase todos os dias. Em crianças, considerar o insucesso em obter o ganho de peso esperado;

  4. Insônia ou hipersonia quase todos os dias;

  5. Agitação ou retardo psicomotor quase todos os dias (observáveis por outras pessoas, não meramente sensações subjetivas de inquietação ou de estar mais lento);

  6. Fadiga ou perda de energia quase todos os dias;

  7. Sentimentos de inutilidade ou culpa excessiva ou inapropriada (que podem ser delirantes) quase todos os dias (não meramente autorrecriminação ou culpa por estar doente);

  8. Capacidade diminuída para pensar ou se concentrar, ou indecisão, quase todos os dias (por relato subjetivo ou observação feita por outras pessoas);

  9. Pensamentos recorrentes de morte (não somente medo de morrer), ideação suicida recorrente sem um plano específico, uma tentativa de suicídio ou plano específico para cometer suicídio.

Observe, é preciso que cinco ou mais dos seguintes sintomas citados acima estejam presentes durante o mesmo período de duas semanas e representem uma mudança em relação ao funcionamento anterior; pelo menos um dos sintomas é (1) humor deprimido ou (2) perda de interesse ou prazer.


Agora, preste atenção! Quando alguém disser que depressão é falta do que fazer, é frescura ou é só falta de pensar positivo, lembre-se que depressão é um transtorno de humor sério e pode ser tratado com atendimento psicológico e psiquiátrico, não hesite em buscar ajuda profissional. Nós do Amar.Elo Saúde Mental estamos aqui para dar esse suporte a você.


Psicóloga Valdirene Rodrigues - CRP 11/15338

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo